Brasil tem um dos sistemas tributários mais complexos do mundo, diz Banco Mundial

Brasil tem um dos sistemas tributários mais complexos do mundo, diz Banco Mundial

O “Doing Business 2018”, ranking anual realizado pela instituição, mostrou que sistema de pagamento de impostos no país está na 184ª posição

O Brasil tem um dos sistemas tributários mais complexos do mundo. A afirmação é sempre mencionada como um dos principais entraves ao desenvolvimento da economia e ao investimento estrangeiro no país. Porém, o que já era um senso comum, acaba de ser comprovado em um amplo estudo realizado pelo Banco Mundial.

O “Doing Business 2018” é um comparativo realizado pela instituição com 190 países. São analisados vários pontos que facilitam ou dificultam o desenvolvimento do ambiente de negócios em cada nação, que leva a um ranking geral mostrando os melhores lugares para se fazer negócios.

Um dos itens avaliados pelo relatório é o “pagamento de impostos”, que mede principalmente a facilidade com que as empresas conseguem cumprir suas obrigações tributárias. Nesse quesito, o Brasil foi classificado na 184ª posição dentre os 190 países analisados.

De acordo com o estudo realizado pela instituição, uma empresa de porte médio, em seu segundo ano de operação, localizada nas cidades de São Paulo ou Rio de Janeiro, gasta em média 1.958 horas ao longo do ano para conseguir cumprir suas obrigações tributárias. O dado ainda mais alarmante revelado pelo estudo é que impostos e taxas podem representar cerca de 68,4% da lucratividade da companhia.

No ranking geral, a posição brasileira também não é nada animadora. O país está em 176º no ranking de nações mais amigáveis ao ambiente de negócios e vem perdendo posições ano após ano desde que o estudo começou a ser realizado. Essa piora tem acontecido porque muitos países têm melhorado suas legislações para se tornarem mais atrativos aos investidores, deixando o Brasil para trás.

“Com um sistema tributário tão complexo, é fundamental que as empresas utilizem ferramentas que possam ajudá-las a superar essas dificuldades. Investimentos em automatização são a melhor opção que as empresas têm para reduzir o tempo dedicado ao cumprimento das obrigações fiscais e, dessa forma, se tornarem mais eficientes e competitivas que seus concorrentes”, avalia Marcelo Ferreira, supervisor tributário da Easy-Way do Brasil, uma das maiores desenvolvedoras de sistemas tributários, fiscais e contábeis do país.

A automatização é o processo que, por meio de softwares, pode tornar automáticas algumas rotinas tributárias, reduzindo o número de horas empregadas nessas atividades e o custo com retrabalho, além de autuações resultantes de erros e dados inconsistentes enviados aos órgãos de fiscalização.

Ferreira lembra que as 1.958 horas gastas com questões tributárias são uma média nacional. “Ou seja, há empresas gastando muito mais horas e outras sendo bem mais eficientes, que podem repassar essa eficiência a seus preços e margem de lucro”, explica o especialista da Easy-Way.