Empresas iniciam a fase de testes do eSocial

Empresas iniciam a fase de testes do eSocial

Período experimental terá como foco a adaptação das empresas ao sistema e o aperfeiçoamento da plataforma por parte do governo federal

O Grupo Gestor do eSocial liberou o acesso de todas as empresas ao ambiente de testes da plataforma da obrigatoriedade. A partir do dia 1º de janeiro de 2018, o eSocial passa a ser obrigatório para empresas que faturaram acima de R$ 78 milhões no ano de 2016, o que segundo os dados da Receita Federal do Brasil – RFB reúne em torno de 14 mil companhias. Para as demais empresas, a obrigatoriedade passa a vigorar em 1º de julho de 2018.

Já o módulo trabalhista – que reúne dados sobre o ambiente e acidentes de trabalho e saúde do trabalhador – passará a ser exigido a partir de 1º de julho de 2018 para empresas do primeiro grupo e 1º de janeiro de 2019 para todas as outras.

Em nota divulgada pela RFB, o Comitê Gestor do eSocial disse que a implantação deste período de testes tem como foco a adaptação das empresas ao sistema e o aperfeiçoamento da plataforma por parte do governo federal. Para o Comitê, este é o momento para que as companhias possam atualizar seus cadastros e validar seus sistemas antes do início oficial da obrigatoriedade.

“É o momento também para as empresas definirem um sistema para a transmissão das informações requeridas pelo eSocial, caso ainda não o tenham feito”, defende Antonio Marin, consultor de desenvolvimento e programação da Easy-Way do Brasil, uma das maiores desenvolvedoras de sistemas tributários, fiscais e contábeis do país.

Para o especialista, é importante que as empresas busquem um fornecedor que tenha experiência com o ambiente legal brasileiro, familiaridade com as áreas tributária e de recursos humanos, além de um histórico sólido e confiável no desenvolvimento de softwares e equipe de atendimento devidamente capacitada para o tema.

Marin diz ainda que o software a ser escolhido deve ter uma interface de fácil entendimento e integração com o sistema corporativo da empresa. “É o caso, por exemplo, do Easy-eSocial. Ao desenvolvermos o sistema aqui na Easy-Way nos preocupamos muito em entregar uma interface totalmente flexível e compatível com todos os ERP’s do mercado”, explica o especialista.

Com isso, o Easy-eSocial se tornou um sistema completo para gerar e transmitir os eventos do eSocial, realizando a conferência e o controle dos fatos relacionados à área de Recursos Humanos e à folha de pagamento. O software segue os mesmos critérios de validação e consistência do ambiente eSocial da RFB.