eSocial: Novo prazo de entrega

eSocial: Novo prazo de entrega

Entrega do eSocial deve ficar para 2015

Comitê Gestor do eSocial confirma que novo Sped só deve entrar em vigor a partir de meados do ano que vem

A entrada em vigor do eSocial deve mesmo ficar só para meados do ano que vem. O Comitê Gestor do eSocial confirmou que o prazo para implantação do eSocial será contado apenas após publicação da versão definitiva do manual de orientação. A publicação desse documento é fundamental para o início do processo de adaptação das empresas ao projeto.

De acordo com o Comitê Gestor do eSocial, a partir da publicação dessas orientações, será disponibilizado em até seis meses um ambiente de testes para que as companhias se familiarizem com o novo sistema, que por sua vez terão mais seis meses para inserirem informações nesse novo ambiente em caráter experimental.

Só posteriormente é que o Governo passará a cobrar a adesão ao eSocial para o primeiro grupo de empregadores, formado por empresas grandes e médias (com faturamento anual superior à R$ 3,6 milhões no ano de 2014). O cronograma de ingresso no sistema para as pequenas e micro empresas está sendo elaborado em conjunto com as entidades representativas desses segmentos.

Isso significa que será prorrogado o prazo que estabelecia que as empresas tributadas com base no Lucro Real teriam que aderir ao programa a partir de janeiro. “O mais provável é que o eSocial só comece a vigorar de fato em meados de 2015”, estima Fernanda Souza, gerente comercial da Easy-Way do Brasil, uma das maiores desenvolvedoras de sistemas tributários, fiscais e contábeis do país.

O eSocial vai reunir informações de vários órgãos governamentais e obrigar as empresas a oferecer dados detalhados como folha de salários, impostos, previdência e diversas outras informações sobres seus funcionários e prestadores de serviços, algumas em tempo real.

O novo Sped vai atingir empresas de todos os portes. O objetivo de sua criação é tornar mais transparente a relação entre empregados e empregadores, além de eliminar informações redundantes e processos burocráticos. Quando implantado, deve possibilitar a extinção de algumas das principais obrigações acessórias que hoje precisam ser apresentadas pelos contribuintes como, por exemplo, CAGED, RAIS, DIRF e GEFIP.

A Easy-Way do Brasil está lançando seu sistema para atender essa nova obrigação. “O Easy-eSocial, além de gerar e transmitir os eventos do e-Social será também uma importante ferramenta para conferência e controle dos fatos relacionados à área de RH e do pagamento de colaboradores da empresa”, diz a gerente comercial da Easy-Way do Brasil, que representa uma das empresas participantes do Projeto Piloto do Comitê Gestor responsável pela implantação do eSocial.