Estudo mostra que 50% das atividades podem ser automatizadas

Estudo mostra que 50% das atividades podem ser automatizadas

Cerca de 25% das funções de um CEO poderiam ser auxiliadas com a tecnologia existente, afirma Instituto McKinsey

Um relatório do Instituto McKinsey mostrou que metade das atividades realizadas atualmente poderia ser automatizada com base nas tecnologias já existentes. A consultoria chegou a essa conclusão após uma análise em mais de 2 mil atividades de trabalho desempenhadas em 800 ocupações.

O estudo revela que cerca de 60% das ocupações poderiam ter até 30% de suas atividades realizadas por meios tecnológicos. O relatório “Um futuro que funcione: automação, emprego e produtividade” foi realizado pelo Instituto McKinsey, o braço de pesquisa de economia e negócios da consultoria de mesmo nome.

O estudo mostra ainda que até mesmo CEOs poderiam automatizar 25% de suas tarefas, como por exemplo, a análise de relatórios e dados para a tomada de decisões.

“A automação aumenta o desempenho, a qualidade e a rapidez na execução das atividades, ao mesmo tempo em que consegue reduzir erros e custos, ou seja, traz produtividade”, diz Fernanda Souza, gerente comercial da Easy-Way do Brasil, uma das maiores desenvolvedoras de sistemas fiscais, tributários e contábeis do país.

A especialista diz que a área contábil das empresas é um ótimo exemplo de como o relatório do Instituto Mckinsey está no caminho certo. “Hoje há sistemas que poderiam automatizar completamente muitas tarefas que exigem um grau considerável de envolvimento das pessoas. Se essas atividades fossem desempenhadas por softwares, o ganho de produtividade seria muito grande, além de reduzir de forma relevante as ocorrências de erros”, diz Fernanda.

A gerente da Easy-Way faz questão de deixar claro que isso não significaria necessariamente uma redução do número de pessoas contratadas, pelo contrário, as atividades mais trabalhosas e que demandam um alto tempo dos recursos poderiam ser poupados com processos automáticos para que os funcionários possam se dedicar na análise dos dados fornecidos pelos sistemas e encontrar oportunidades de melhorias de processo que incrementem os resultados das empresas.

É exatamente a essa conclusão que chegou o Instituto McKinsey em seu relatório. O aumento da automação não vai reduzir o número de empregos. As pessoas vão continuar trabalhando ao lado das máquinas, mas vão dedicar seu tempo a funções que incrementem a produtividade.

“Não tenho dúvidas que uma empresa que tenha um alto grau de automatização de suas tarefas fiscais e tributárias sofre muito menos com autuações decorrentes de erros e isso lhe dá um ganho de competitividade importante frente a concorrentes menos preparados tecnologicamente”, avalia a gerente da Easy-Way.