Impostos e burocracia são os vilões do crescimento

Impostos e burocracia são os vilões do crescimento

Diagnóstico pessimista mostra a importância de contar com sistemas que tragam eficiência e confiabilidade na gestão tributária.

A alta carga tributária e a burocracia do sistema de impostos são os grandes vilões no Brasil quando se fala em entraves ao crescimento do país. Essa é a conclusão a que chegou uma pesquisa realizada pelo Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis do Estado de São Paulo (Sescon).

De acordo com os dados apurados pelo Sescon, para 42% dos empresários a alta carga tributária é o principal empecilho para o crescimento no Brasil. Já para outros 26% dos empreendedores a burocracia é a grande vilã.

Com uma das maiores cargas tributárias do mundo, o Brasil ocupa hoje a última posição no ranking de retorno dos impostos arrecadados, feito pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT). A carga tributária do país é de 36,27% do PIB. Nos EUA, que tem o maior retorno para a população, a carga tributária é de 24,3%.

Apesar da carga gigante, antes de uma reforma tributária, a prioridade máxima, segundo o empresariado brasileiro, é investir na desburocratização. Atualmente, as empresas brasileiras perdem 2.600 horas por ano com burocracia e impostos, segundo o Sescon.

“Esse diagnóstico pessimista mostra como é importante as empresas contarem cada vez mais com sistemas que tragam eficiência e confiabilidade na gestão de seus tributos”, avalia Fernanda Souza, gerente comercial da Easy-Way do Brasil, uma das maiores desenvolvedoras de sistemas tributários, fiscais e contábeis do país.

Segundo a especialista, as constantes mudanças na legislação tornam muito difícil para as empresas a atualização de seus controles e processos internos.

“Por isso a importância de contar com um sistema para auxílio dessas mudanças e controles, reduzindo os custos dos processos e mitigando os riscos de sofrer com autuações”, diz a gerente da Easy-Way do Brasil.