Receita Federal divulga lista com empresas na malha fina

Receita Federal divulga lista com empresas na malha fina

Mais de 26 mil pessoas jurídicas terão uma segunda chance de rever informações prestadas e corrigir inconsistências antes de serem autuadas

A Receita Federal do Brasil – RFB divulgou que mais de 26 mil empresas caíram na malha fina criada para investigar pessoas jurídicas. As inconsistências encontradas referem-se ao ano-calendário 2012 e somadas chegam a um total de R$ 7,2 bilhões.

A malha fina para pessoas jurídicas foi criada pela Receita em 2013. O sistema analisa a consistência das Declarações de Débitos da Pessoa Jurídica – DCTF, entregues todos os meses, por todas as empresas, com exceção daquelas incluídas no Simples.

As empresas incluídas na malha fina receberão um comunicado da RFB e terão a oportunidade de regularizar sua situação. “Obviamente ninguém quer estar nessa lista, mas cair na malha fina significa uma segunda chance para retificar informações ou pagamentos incorretos e assim evitar uma autuação que poderia representar uma dor de cabeça muito maior”, diz Fernanda Souza, gerente comercial da Easy-Way do Brasil, uma das maiores desenvolvedoras de sistemas tributários, fiscais e contábeis do país.

A empresa que não corrigir as inconsistências poderá sofrer processos de fiscalização e posteriormente uma autuação. A multa deve variar de 75% a 225% sobre o valor em litígio.

A Receita também divulgou como está planejando sua atuação em fiscalização para 2015. A RFB informou que já identificou 100% dos contribuintes que serão fiscalizados. Segundo o órgão, são 46 mil com indícios de irregularidade. Entre os grandes contribuintes, estão sendo monitorados 9.478 pessoas jurídicas e outros 5.073 pessoas físicas. Juntos, eles são responsáveis por 65% da arrecadação federal.

“Com a enorme quantidade de novas legislações criadas anualmente pelos Governos Federal, Estaduais e Municipais e o imenso peso da burocracia na área tributária, é muito difícil que as empresas consigam cumprir corretamente todas suas obrigações sem a ajuda de um parceiro na área de sistemas que lhe permita automatizar suas obrigações fiscais”, diz a gerente da Easy-Way.