Automação fiscal traz ganhos de produtividade para empresas

Automação fiscal traz ganhos de produtividade para empresas

Além de reduzir custos, tecnologia permite aumento de eficiência com a liberação de profissionais para atividades mais complexas

Em um ambiente de negócios no qual o surgimento de novas tecnologias traz cada vez mais a competição entre as empresas, a automação fiscal se apresenta como uma das grandes fronteiras para a redução de custos e ganho de competitividade dentro das organizações.

“O investimento em softwares que automatizam as rotinas fiscais tem um impacto direto e perfeitamente mensurável na redução de custos operacionais, porém, é o aumento da eficiência proporcionada pela automatização que traz os melhores resultados a médio e longo prazo”, diz Fernanda Souza, diretora comercial da Easy-Way do Brasil, uma das maiores desenvolvedoras de sistemas fiscais, tributários e contábeis do país.

A especialista explica que inicialmente a primeira ideia associada ao processo de automatização é a substituição de pessoas, mas o intuito não é esse.

“O que ocorre no dia a dia é que a utilização de softwares acaba liberando as pessoas com um alto grau de capacitação para que se dediquem a atividades mais complexas, como análise e gerenciamento dos processos, ao invés de ficarem presas a rotinas de digitação e conferência de dados, permitindo que esses profissionais possam identificar melhorias nos processos executados”, explica Fernanda.

Por outro lado, também é rapidamente perceptível a redução de custos proporcionada por esta automatização. De acordo com a diretora comercial da Easy-Way, o primeiro impacto é na diminuição de horas extras, especialmente em períodos de fechamento. O retrabalho em virtude de erros cometidos também é outro fator rapidamente identificável.

A redução dos erros tem um impacto ainda maior na percepção do risco, uma vez que a organização fica menos exposta a autuações realizadas pela fiscalização em virtude desses equívocos. O compliance também é outro grande benefício tanto pela percepção do risco, quanto da rastreabilidade das atividades realizadas por todos os funcionários envolvidos no processo.

“As ferramentas tem evoluído e se tornado cada vez mais inteligentes e quanto mais as empresas demorarem para automatizarem seus departamentos fiscais, mais difícil será acompanhar a concorrência”, avalia Fernanda.

Exemplo disso é o Easy-I.R.P.J., criado pela empresa há mais de 20 anos e ainda hoje é um dos principais sistemas de cálculo e pagamentos de tributos diretos do mercado. “Quando esse software foi criado, o conceito de inte00ligência artificial como conhecemos hoje praticamente engatinhava, isso mostra como essa evolução da automatização e dos nossos produtos é constante”, diz a diretora da empresa.