Brasileiro trabalha 151 dias para pagar seus impostos

Brasileiro trabalha 151 dias para pagar seus impostos

Estudo realizado pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário mostra que brasileiros tiveram que trabalhar até dia 30 de maio para pagar seus tributos

Junho começou com uma boa notícia para os brasileiros, já que é a partir desse mês que as pessoas deixam de trabalhar apenas para pagar seus impostos. Isso é o que mostra um estudo do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário – IBPT, produzido todo ano e divulgado recentemente, que apontou que em média o brasileiro precisou trabalhar até o dia 30 de maio apenas para pagar seus impostos.

Em 2020 foram necessários 151 dias para atingir essa marca, dois dias a menos do que o recorde de 153 dias que vinha se repetindo nos últimos quatro anos. Isso significou uma leve redução na carga tributária que alcançou 41,25%, ante 41,80% do período anterior.

Esses números, porém, representam uma média do rendimento do brasileiro e a depender de cada caso, podem ser bem maiores. De acordo com o estudo, por exemplo, pessoas com rendimentos mensais entre R$ 3 mil e R$ 10 mil, precisam de 164 dias para pagar seus tributos e estão sujeitos a uma carga tributária de 43,99%. Quem recebe mais de R$ 10 mil por mês leva 154 dias para pagar seus impostos e sofre com uma carga tributária de 42,08%. Por outro lado, rendimentos mensais até R$ 3 mil sofrem uma carga de 39,07% e despendem 143 dias no pagamento de taxas e impostos.

Esses patamares nada animadores colocam o Brasil no grupo de cima do ranking organizado de acordo com os dados fornecidos à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico – OCDE, perdendo em número de dias trabalhados apenas para alguns países europeus, principalmente nórdicos onde tradicionalmente a carga tributária é alta em virtude dos bons serviços públicos oferecidos à população. Por outro lado, estamos distantes de países latino-americanos como Argentina (136 dias), México (108 dias), Uruguai (84 dias) e Chile (68 dias), ou mesmo nações desenvolvidas, onde a carga tributária costuma ser mais alta, como Nova Zelândia (126 dias), Canadá (117 dias) e Estados Unidos (74 dias).

“Como o estudo mostra, o número de dias necessários para o pagamento de tributos é uma média e isso também se aplica às empresas. Aquelas que são mais eficientes na gestão de seus tributos saem na frente da concorrência”, avalia Marcelo Ferreira, supervisor tributário da Easy-Way do Brasil, uma das maiores desenvolvedoras de sistemas fiscais, tributários e contábeis do país.

Para o especialista a forma mais rápida e segura de se obter esse ganho de eficiência é o investimento em tecnologia. “Automatizar o maior número possível de procedimentos internos na gestão dos tributos é o que dá resultados mensuráveis de ganhos e eficácia e competitividade”.

Segundo o supervisor tributário da Easy-Way, esse melhor desempenho pode ser medido, por exemplo, em menos horas de pessoal alocadas no desempenho de burocracias tributárias, redução de retrabalho, redução de autuações provocadas por erros e liberação de pessoal para atividades gerenciais, de maior valor agregado e que possam se traduzir em maiores ganhos a médio e longo prazo.