Mais de 4 milhões de empresas já aderiram ao eSocial

Mais de 4 milhões de empresas já aderiram ao eSocial

Para especialista da Easy-Way do Brasil, adaptação ao novo sistema, que será lançado no ano que vem, será mais fácil para quem está no eSocial

O Grupo Gestor do eSocial divulgou um balanço com os números referentes a obrigatoriedade mostrando que mais de 4,2 milhões de empresas se cadastraram no eSocial. No total, são quase 40 milhões de empregadores registrados no sistema.

O Grupo 3, formado por optantes pelo Simples, são o maior grupo de cadastrados, com 3,1 milhões de empregadores e 14,6 milhões de empregados. O Grupo 2, faturamento até R$ 78 milhões, é composto por 1,1 milhão de empresas com 11,3 milhões de funcionários. Já no Grupo 1 estão cadastradas cerca de 13 mil grandes companhias com faturamento acima de R$ 78 milhões e com mais de 11,7 milhões de empregados.

O Grupo Gestor ressaltou na divulgação de seu balanço que todos os empregadores continuam com obrigações atreladas ao calendário do eSocial. Para o ano que vem, porém, está prevista uma simplificação do sistema, que será substituído por dois novos, um para os dados prestados à Receita Federal e outro para informações de previdência e trabalho.

Enquanto a mudança não é implementada, o sistema passa por pequenos aperfeiçoamentos. A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia anunciou que foi realizada uma atualização para permitir a vinculação de pagamento de participação nos lucros e resultados a beneficiário diretor não empregado.

Também foi divulgada uma atualização no leiaute 2.5 com várias simplificações. O novo ambiente de testes será liberado no dia 8 de outubro e deve ser implantado em definitivo a partir de 11 de novembro.

“Esses números divulgados pelo Grupo Gestor mostram que a grande maioria das empresas realizou a tarefa mais difícil ao se cadastrar e começar a enviar as informações do eSocial. Se adaptar a simplificação que foi anunciada para o ano que vem deve ser muito mais fácil a partir de agora”, acredita Luis Carlos Araújo, consultor tributário da Easy-Way do Brasil, uma das maiores desenvolvedoras de sistemas fiscais, tributários e contábeis do país.

Para o especialista, a simplificação deve tornar o sistema mais amigável às empresas. “O governo já deixou claro que vai reduzir bastante o número de informações exigidas e isso deve tornar mais fácil o processamento e envio dos dados ao sistema“.

Vale lembrar que a Easy-Way vai atualizar o Easy-eSocial para que o mesmo possa atender adequadamente as exigências do leiaute 2.5 e quando a obrigatoriedade for desmembrada em dois novos sistemas, o programa da empresa também será adaptado a essas alterações sem nenhum custo adicional.